Buscar

A disciplina de um campeão em busca do sonho Olímpico

Por: Assessoria de imprensa


O paranaense Luanh Saboya é uma grande promessa brasileira do judô. Até o momento conquistou diversos títulos e viveu experiências incríveis. Uma delas, os Jogos Mundiais Escolares - Gymnasiade 2016, realizado em Trabzon, na Turquia, evento organizado pela International School Sport Federation (ISF), onde sagrou-se campeão Mundial representando o Brasil pela CBDE. Reconhecido pela sua dedicação e resultados, o judoca foi selecionado para participar do reality show “Ippon, a luta da vida 2019”, exibida no Esporte Espetacular, na rede Globo. O maior sonho? Representar o Brasil em uma Olimpíada.

Judoca Luanh Saboya (Foto: Arquivo pessoal)


História


Influenciado pelo pai, o técnico de judô Alan Vieira, Luanh subiu no tatame pela primeira vez com apenas três anos de idade e começou a competir com cinco. Junto com os primeiros passos vieram as primeiras medalhas, e o fato de ver o seu pai feliz pelas conquistas o motivava ainda mais e a paixão pelo esporte foi crescendo.

Turismo na Turquia durante o intervalo dos Jogos Mundiais Escolares - Gymnasiade 2016

(Foto: Arquivo pessoal)


A estreia como campeão estadual veio com nove anos, o classificando para o seu primeiro Campeonato Brasileiro, o qual terminou na terceira colocação. No ano seguinte, conquistou a medalha de ouro e o direito de integrar à Seleção Brasileira Infanto Juvenil. Com tanta dedicação e amor ao judô, Luanh foi escrevendo a sua história e se tornou Tetracampeão Brasileiro, Tetracampeão Pan-Americano, Bicampeão Sul-Americano, além de conquistar duas medalhas no Circuito Mundial na Alemanha, sendo uma de ouro e outra de prata, e tantas outras vitórias que o deixaram ainda mais forte e perto de realizar outros sonhos.

Jogos Mundiais Escolares - Gymnasiade 2016, Turquia (Foto: Arquivo pessoal)


No Desporto Escolar, o jovem atleta teve o privilégio de representar o Brasil no Jogos Mundiais Escolares - Gymnasiade 2016, realizado na Turquia e o resultado foi o melhor possível: campeão do mundo. “Sou muito grato pela FDEPR e pela CBDE, pois me deram oportunidades que marcaram a minha vida. Foi muito gratificante e importante participar. Competi com atletas de alto nível e, graças a Deus, consegui ganhar de todos”, contou.


Com um currículo recheado de competições e conquistas, Luanh afirmou que a passagem pelo Desporto Escolar, tanto nas Seletivas Estaduais e Nacionais, quanto no Mundial, foram grandes oportunidades em sua trajetória e que ajudaram muito no seu desenvolvimento atlético e pessoal. “As experiências adquiridas fazem a diferença na carreira do atleta. Foram competições que me fizeram crescer como atleta e como ser humano. Além dos títulos, conheci pessoas novas, um país novo, e isso agregou muito para a minha vida. Só quem participou sabe”.

Pódio Jogos Mundiais Escolares - Gymnasiade 2016, Turquia (Foto: Arquivo pessoal)


Hoje, com 21 anos, Saboya mora no Rio de Janeiro, faz parte da Seleção Brasileira e acumula cinco Seletivas Olímpicas. Na última participação, por pouco não conseguiu a vaga para começar a pontuar. “Ainda tenho chances, já que a Olimpíada foi adiada para 2021. A esperança é a última que morre. Vou continuar disciplinado e treinando para quando as competições voltarem ao normal eu poder abraçar todas as oportunidades e aproveitar ao máximo para conseguir essa vaga tão esperada. Eu sempre digo que sou um incansável, só vou parar quando conseguir. Se depender de mim vou conseguir a vaga e uma medalha”, declarou o judoca sobre o sonho Olímpico.

Jogos Mundiais Escolares - Gymnasiade 2016, Turquia (Vídeo: Arquivo pessoal)

Para isso, mesmo com todas as dificuldades enfrentadas durante a quarentena, devido à pandemia pelo novo coronavírus, Luanh treina de duas a três vezes por dia seguindo as orientações enviadas pelos preparadores físico e pelo pai. “Todos os atletas de alto rendimento estão treinando em casa, então eu tenho que treinar forte para quando tudo isso passar, eu também esteja preparado, disse. “Minha disciplina está sendo a mesma, não estou acordando tarde, não estou perdendo o tempo. Estou ocupando o meu tempo ao máximo não apenas com treinamento físico, mas como o mental também que é muito importante”, acrescentou.


Enquanto segue se preparando para vôos mais altos, Luanh fez questão de agradecer pelo apoio de algumas pessoas que passaram pelo seu caminho. “Gostaria de agradecer a equipe do Desporte Escolar, principalmente ao Clesio Prado, pois fiz uma amizade muito legal com ele. É uma pessoa incrível de um coração gigantesco. Agradecer por todos e por tudo, pelas oportunidades que eu tive, pelo carinho e atenção. Vou estar com vocês no meu coração pelo resto da minha vida porque os momentos que me proporcionaram jamais vou esquecer. Bate a saudade só de lembrar, então gratidão enorme à equipe da FDEPR e da CBDE”.

Presidente da FDEPR, Clesio Prado, Luanh e Carol, campeões em Trabzon, retornando da Turquia (Foto: Arquivo pessoal)


Além disso, o atleta ainda deixou um recado aos colegas que seguem o mesmo caminho. “Aproveitem as oportunidades que tiverem. Vale a pena se dedicar, dar o máximo em uma competição. Não tem satisfação maior do que conquistar sua medalha de ouro e ver que o seu dever foi cumprido. Aproveitem as oportunidades”, finalizou.


Ippon, a luta da vida 2019 – Esporte Espetacular


No ano passado, a TV Globo, em parceria com a Confederação Brasileira de Judô (CBJ) e Bradesco, produziu a segunda edição do reality show “Ippon, a luta da vida”. A série foi transmitida em seis episódios nas manhãs de domingo pelo Esporte Espetacular. Nela, os medalhistas olímpicos Flávio Canto, bronze nos Jogos de Atenas 2004, e Tiago Camilo, prata em Sidney 2000 e bronze em Pequim 2008, atuaram como técnicos, cada um responsável por uma equipe composta por quatro atletas. Os integrantes dos times foram definidos a partir de critérios técnicos determinado pela gestão das Categorias de Base da CBJ, que analisou os melhores judocas do ranking nacional sub-21.


Luanh integrou o time azul comandando por Tiago Camilo. “Foi uma experiência muito grande, única e gratificante ter participado do reality porque foi o oposto do que eu estava acostumado. O clima era muito diferente porque não tinha torcida, era eu, o adversário, a câmera e o silêncio. Na vida de um atleta, as oportunidades que conseguimos levamos para o resto da vida. O reality me ensinou muito”, declarou.

Time Flavio Canto (Foto: Arquivo pessoal)

0 visualização
cbde-logo_1 (1).jpg
logo isf.png

© 2019 by FDEPR